quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Salvar o Planeta: Utopia, ou Realidade?

Esta imagem está aqui
      O mundo todo deveria ter suas atenções voltadas para a Conferência do Clima em Paris, a COP 21.



      Enquanto dirigentes mundiais discutem como evitar o "aquecimento global", tentando reduzir as emissões de poluentes na atmosfera, eu, recentemente - descrente e abatido assim como muitos brasileiros - por uma avalanche de lama contaminada por dejetos de mineração  sem precedentes na nossa história, vejo sepultada definitivamente, a utópica esperança de deixar aos nossos herdeiros terrestres, um planeta minimamente habitável!

     Concordo em parte, com a teoria de George Carlin em Save the Planet!

     Dentro deste polêmico tema, há uma interessante publicação, da qual transcrevo alguns trechos:

     De Isha, "A Embaixadora da Paz"..."Salvando o Planeta: nossa separação do mundo.

     Enquanto a preocupação mundial pelo meio ambiente aumenta, observo como enfrentamos este problema da mesma maneira que com a maioria das situações em nossa vidas: queremos consertar algo que percebemos que está muito mal.

     Quando isto acontece, logo procuramos um culpado, mas ao fazê-lo, evitamos tomar responsabilidade a respeito.

    Como assumir a responsabilidade de algo como a destruição do meio ambiente, algo que parece tão enorme e tão pouco relacionado com as nossas próprias ações?

    Não estou minimizando os efeitos positivos de se fazer escolhas mais ecológicas ou de reduzir o impacto que deixamos, mas estou falando de ir para dentro para sanar as causas do comportamento destrutivo dentro de si mesmo.

    Temos tantos julgamentos sobre o que está acontecendo no mundo: a destruição das selvas tropicais, o envenenamento dos oceanos, derramamentos de petróleo, membros de tribos matando gorilas em troca de dinheiro para sobreviver, e a lista segue e segue.

    Obviamente gostaríamos de mudar estas coisas, mas temos que nos perguntar o que está na raiz destes comportamentos.  A cobiça, a carência, a separação.

    Sentimos como se faltasse algo: recursos naturais, dinheiro ou iniciativas para reverter o dano ecológico.  Ainda que estes temas pareçam ser problemas nacionais e inclusive globais, este sentimento de falta deriva de nosso estado interior, de nos sentirmos incompletos.

    Se me sinto insatisfeito, sinto necessidade...Se sou abundante, não vou queimar a selva tropical...

    Era uma vez um cientista que estava obcecado em encontrar uma maneira de sanar o mundo.  Ele desenvolveu poções e teorias, novos inventos e descobertas, tentando sem descanso encontrar a solução.

    Um dia, seu filho de cinco anos entrou em seu laboratório.
    - Que estás fazendo, papai? perguntou.
    - Estou tratando de encontrar uma maneira de sanar o mundo, respondeu seu pai distraidamente.
    - Sério, papai?  Posso te ajudar?  Quero salvar o mundo!  Por favor, por favor, me diga o que posso fazer! emocionou-se o menino.
    Sorrindo para a ingenuidade do menino, o cientista arrancou uma foto do mundo, de uma revista. Rasgou-a em pedaços pequenos e deu ao menino.
    - Toma, disse, vai corrigir isso.
    O menino saiu correndo com entusiasmo e seu pai voltou a seus experimentos, sabendo que seu filho, que não tinha ideia de como se via o mundo, estaria entretido durante horas com o quebra-cabeça. Cinco minutos mais tarde, regressou com a imagem do mundo perfeitamente montada de novo.  Seu pai olhou com surpresa.
    - Como você fez isso?  Nem sequer sabes como se vê o mundo!
    - Isso é verdadeiro, papai, disse o menino.  Não sei como é o mundo, mas, pegaste esta foto de uma revista e na parte de trás estava a foto de um homem. Quando consertei o homem, sanei o mundo!...". (Leia mais aqui).

    "Não é preciso muito esforço pra gente piorar as coisas nesse mundo em que vivemos. Basta a gente se omitir, não agir, se conformar". Renée Venâncio.

35 comentários:

  1. Hola Vitor, ojalá vean nuestros hilos un mundo mejor, pero tal y como esta el sistema en lo que solo interesa ganar dinero sin importar los daños lo veo dificil y me apena enormemente que esto sea así. Un fuerte abrazo y muchas gracias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Es cierto, Lola, el interés económico se coloca siempre por encima de los intereses de la humanidad! Abrazos!

      Excluir
  2. Angélica Carvalho E Silva, comentou no Facebook:
    Sim, Sempre há ESPERANÇA !

    ResponderExcluir
  3. Oi Vitor
    Sempre há esperanças para consertar o mundo, os gênios já mortos não conseguiram, que tenhamos gênios melhores que Albert Einstein.
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que alguns gênios até contribuíram para a destruição mais rápida ainda, Dorli.
      Beijos!

      Excluir
  4. Fran Leone comentou no Facebook:
    Se todos pensassem como nós, a resposta seria sim...fazemos a nossa parte. Infelizmente, aqueles que mais danos causam só estão preocupados com $$$$$$... Torço pra mudarem de opinião, porque se precisarmos mudar de planeta não vai ser possível. E... há quem diga que os danos causados ao nosso planeta já são irreversíveis...será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fran!
      Creio que o que acabou de acontecer em Mariana-MG, seja irreversível.
      Nada será como antes!

      Excluir
  5. VitorNani,

    pensar que o ser humano é o único animal que mata por diletantismo,não chega a ser muito alentador para o futuro deste nosso planeta.

    A catástrofe de Mariana e outras tantas dezenas de cidades de Minas Gerais e Espirito Santo é um filme de terror explicito!

    E foi tudo desaguar no mar...que desgraça,cara.

    Aquela sopa de metais pesados só fica mais leve ante a irresponsabilidade dos donos do minérios no Brasil,os reis da cocada preta que certamente, ficarão mais uma vez impune, pois,a Samarco e a Vale financiam a maior parte dos políticos daquela região.

    Desculpe, vou vomitar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem mais pessoas interessadas em salvar a reputação das mineradoras, do que em minimizar o sofrimento das vítimas e do meio ambiente, Paulo!
      Realmente dá nojo!

      Excluir
  6. Eu acho que o Planeta não tem mais chance, chegou o tempo de ser reformado, faxinado, radicalmente... Porém, devemos morrer lutando, isto é, devemos fazer a nossa parte até o fim.
    Vitor, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com ou sem a presença humana na terra, ela saberá reverter as tragédias até o fim dos tempos!
      Só não precisamos acelerar o tempo!
      Beijos, Shirley!

      Excluir
  7. Boa tarde Vitor
    Tragédias ambientais se sucedem sem que nada seja feito. Podemos e demos contribuir com nossas pequenas ações mas e os governantes que se aproveitaram da terrível lama para usurpar dinheiro. Cada um dos governantes das esferas estadual e federal deram o seu contributo cobrando em milhões a tragédia do rompimento das barragens, Mas quem está socorrendo o povo?
    O povo mineiro e também dos outros estados brasileiros. Os políticos fétidos embolsaram uma grana vultuosa e lavaram suas podres mãos. Que se dane o planeta e o povo. Esse é o lema dos nossos podres políticos que faz belos discursos e agem de forma ignominiosa
    Um ótimo final de semana
    Beijos no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A própria Natureza tem seu jeito peculiar de causar desgraças, não precisamos da ajuda maldita do ser humano, certo?
      Beijos e um ótimo fim de semana a você também, Gracita!

      Excluir
  8. UN GRAN ARTICULO. GRACIAS POR COMPARTIRLO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  9. As tragédias que se repetem, são nada mais, nada menos, que os reclamos da Natureza pelas agressões que lhe são impostas pelo homem.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o homem jamais aprenderá, Furtado!
      Abraços!

      Excluir
  10. Boa noite,
    Obrigada pela sua visita!
    Um excelente artigo abordando o tema ambiente bem pertinente infelizmente pelas causas de todos conhecidas (ou não).!
    Será que o Homem conseguirá consertar o Planeta como fez a criança?
    Será que ainda vamos a tempo de evitar mais catástrofes?
    Tenho esperança! Essa criança me ensinou.
    Beijinhos e bom domingo.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse bem, Ailime, precisamos aprender com as crianças!
      Beijos e boa semana!

      Excluir
  11. Olá, Vitor, postagem maravilhosa, concordo com tudo e fantástico teu exemplo do menino... consertando o homem, arrumaria o mundo!
    É muito conversa em torno do assunto, reuniões e encontros infinitos e que nunca saem do papel. Particularmente não acredito num mundo resolvido, sabes por quê? Porque não acredito nos homens quando têm o poder nas mãos. Fácil assim. Mas não consigo reverter essa minha opinião. Até gostaria.
    beijos, ótima semana pra você.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Tais!
    Não será possível melhorar o mundo em que vivemos, sem antes, melhorarmos os moradores dele!
    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
  13. OI VITOR!
    DIFÍCIL ESTÁ, MAS IMPOSSÍVEL NÃO É.
    ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO E DO EXEMPLO, NOVAS GERAÇÕES, PODERIAM REALIZAR ESTAS MUDANÇAS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Vitor
    Os governantes não estão nem aí.E nós o que podemos fazer: apenas pagar enormes impostos para enriquecê-los cada dia mais.
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente tem sido assim mesmo, Dorli.
      Beijos!

      Excluir
  15. Hola Vitor: We can only hope hat finally the world leaders are starting to get serious about climate change. I think that this time there does seem to be a will to do better, but I fear that any action may be too late to prevent a temperature rise of two or three degrees before the century is out.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hi David!
      I fear that after so many meetings of world leaders, since Rio 92 to COP 21, still no effective measure has been implemented and is too late, as you said.
      Hugs!

      Excluir
  16. Oi Vitor,
    Você é demais, fiquei sem fôlego pela comparação.
    Amo rosas vermelhas.
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  17. Olá, Vitor
    Como seria bom se todos nos preocupássemos um pouco com o Planeta!
    Esta semana tomei conhecimento de que a Cimeira anuiu em fazer tudo para evitar que o aquecimento ultrapasse os 2 graus centígrados e também soube que o oxigénio não existe só nas matas mas também nas algas. O pior é o que fazem(os) aos Oceanos e perdemos o oxigénio da Amazónia e o das algas...
    Vamos, todos e cada ,fazer o possível para minimizar este desconcerto.
    Parabéns pelo tema escolhido.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beatriz!
      Enfim, depois de muitas reuniões, parece que na COP 21, alguns compromissos foram assinados para frear o desarranjo que o progresso vem causando ao nosso planeta!
      Ainda há esperanças!
      Abraços e boa semana!

      Excluir
  18. Muy interesante y mil gracias por compartir la información.
    Te deseo lo mejor para el AÑO NUEVO.

    Un saludo.

    ResponderExcluir
  19. Gracias!
    También te deseo mejor para el Año Nuevo!
    Abrazos!

    ResponderExcluir
  20. Gracias!
    También te deseo mejor para el Año Nuevo!
    Abrazos!

    ResponderExcluir

Seu comentário é o que torna especial esta postagem. Enriquece extraordinariamente o conteúdo!
Lembrando Saint Éxupery:"Aqueles que passam por nós, não vão sós. Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Obrigado pela visita!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. AVISO LEGAL Todos os direitos reservados. Esta coletânea de textos e imagens são propriedades do autor e estão protegidos por direitos de propriedade intelectual, que não podem ser utilizados em qualquer meio ou formato sem a autorização do autor. Vitorio Nani - 12/06/2010.