quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Congregação de Surdos.



     Quando li o poema do talentoso poeta português Jaime Portela - publicado no dia 21 Jan 2016 em seu bogue - achei que seus versos bem poderiam se encaixar nesta postagem!  Com sua devida autorização, transcrevo na íntegra: CONCERTO NUM AUDITÓRIO QUASE CHEIO DE SURDOS.



"As palavras escorrem como solos inocentes de um pianista aprendiz.  As mãos ardem nas teclas como contraponto ao público embriagado de frases líquidas no substrato do verso abstrato.




O destilado entra, implacável, nas veias dependentes de ilusões.



O enlevo das palavras, vertidas na vertigem da miragem, vai perfurando entranhas e há cada vez mais sedentos à porta de vidros à prova de bala.



A provação da verdade das emoções e o deserto da crua mentira, espreitam nutridas no espelho da caricatura dos olhares.



A indecisão de continuar a vender ópio maldito ou de partir o piano a meio do recital, perfuram os tímpanos e não se ouvem respostas.



Mas a esperança da harmonia dos andamentos, faz continuar o concerto num auditório quase cheio de surdos."

Leiam mais excelentes poemas como este, visitando Rio sem margens. 

 " Quando as pessoas temem o governo, isso é tirania. Quando o governo teme as pessoas, isso é liberdade". Thomas Jefferson.

As imagens contidas nesta postagem foram obtidas Aqui. 

29 comentários:

  1. UN POST MUY INTERESANTE POR SU DENUNCIA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  2. Fantástico, amei tua criatividade!
    E parabenizo o amigo poeta Jaime Portela pelas maravilhosas inspirações.
    Uma ótima tarde.
    Abraços!
    Mariangela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariangela!
      O poeta Jaime Portela colocou as legendas nas imagens quase que literalmente!
      Abraços!

      Excluir
  3. OI VICTOR!
    UM TEXTO CRÚ E VERDADEIRO QUE ENCAIXA-SE PERFEITAMENTE AO NOSSO MOMENTO, POIS EMBORA O AUDITÓRIO NÃO ESTEJA CHEIO DE SURDOS, PARECE ESTAR LOTADO DE "MUDOS".
    PARABÉNS AO POETA JAIME PORTELA PELO TRABALHO E A TI PELA SENSIBILIDADE AO ELEGÊ-LO PARA TUA PUBLICAÇÃO.
    ABRÇS

    http://. zilanicelia.blogspotcom.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Zilani!
      Foi isso mesmo que eu pensei quando li o poema pela primeira vez.
      Abraços!

      Excluir
  4. Sordos, ciegos y mudos parecemos en muchas ocasiones. Desde luego, la sordera es evidente y muy tranquilizadira. En España tenemos un refrán que dice: "NO HAY PEOR SORDDO QUE EL QUE NO QUIERE OIR".

    Interesabtísima aportación. Gracias. Saludos cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. También en este caso, tenemos el dicho: "El ciego que el que no quiere ver."
      Sinceramente, Franziska!

      Excluir
  5. Caro Víctor, obrigado pela sua preferência.
    As ilustrações são perfeitas e até melhoram o poema. Parabéns pelas escolhas das imagens.
    Um enorme abraço.

    ResponderExcluir
  6. Muito bem bolada e em perfeita sincronia o ótimo poema do amigo Jaime com as fotos escolhidas por você! Nada mais do que a nossa realidade. Parabéns aos dois amigos. Perfeito.
    Bjus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que foi encomendado, o poema do Jaime Portela!
      Beijos, Tais!

      Excluir
  7. Oi Victor
    O poema do Jaime é fabuloso e você foi um expert em adequá-lo ao momento que vivemos com imagens perfeitas. A abordagem ficou perfeita
    Você e o Jaime formaram um duo excepcional. Parabéns aos dois
    Uma belo final de semana
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracita!
      Quem sabe no futuro possamos também fazer parceria, você e eu, pois bem sei do seu talento para a poesia!
      Abraços!

      Excluir
  8. O brasileiro é um povo pacífico... Mas, caramba,
    precisa exagerar tanto assim???
    Muito bom, Victor e Jaime!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pacífico ao extremo, Shirley.
      Só que as coisas não estão boas para os políticos.
      Beijos!

      Excluir
  9. Olá, Victor!

    Tudo bem? Temos que fazer por isso. Viver é excelente! SE LEMBRE SEMPRE DISSO!

    Que post! Quanta harmonia! Na "mouche", como, vulgarmente se diz. Jaime Portela escreve muito bem, não importa o tema. Tem conhecimentos académicos bem consolidados, e embora seja da Área de Ciências, se exprime, perfeitamente, no Campo das Letras e mais concretamente na Poesia.

    Também li esse poema dele, e embora não tenha sido dos que mais gostei, "caramba", tenho que lhe reconhecer que está muito bem feito, de excelente estrutura, conteúdo, disposição e métrica (estou me metendo em assuntos, nos e dos quais tenho alguns conhecimentos). O tema versado, nesse poema, cai que nem mel, se "casa" de paixão com as suas imagens. Se tivessem combinado, antes, a "coisa" não ficaria tão bem, tão única! É sempre assim, meu querido amigo e não conseguimos explicar o porquê. Não importa e nem devemos cansar nossos neurónios com vulgaridades.
    Tudo o que é espontâneo, que brota da alma e é um tanto "irrefletido" , vira, é, melhor dizendo, uma OBRA DE ARTE, UMA PEFEIÇÃO, UM CONCERTO EM SOL E MUITO AUDÍVEL, UM ASSOMBRO!

    Como não sou brasileira, e portanto só sei aquilo que leio nos blogues ou ouço na comunicação social, que pode ser tendenciosa, não gosto muito de me pronunciar sobre o "clima" político de nenhum país, a não ser o meu, porque nasci cá, vivo cá e assisto aos acontecimentos cá, e mesmo assim, eu penso "X", e outros "Y". Talvez seja salutar, mas há situações que são tão lógicas, a gente as vê tão nitidamente como o sol que está agora aparecendo em Lisboa, mas mesmo assim, é capaz de haver gente que diz que esse sol não é aquele sol, aqueles que eles imaginam e até o veem, mas noutros moldes. Fantástica, a imaginação rocambolesca de algumas pessoas. Hoje, Victor estamos a 31 de janeiro de 2016. Verdade? Quem desmente? Talvez os Árabes que andam atrasados no tempo, mas mto adiantados noutras atividades.

    As fotos falam por si mesmas e aquela de Inácio Lula da Silva, de olhos meios desbotados, está de gritos. Viva o Brasil, ou melhor, viva a pinga! Começam os devaneios. É assim! Aquilo não é água.

    A senhora Dilma também está muto bem posicionada, com ar de defensora, ar de quem está pondo "os pontos nos is", aquele ar de guerrilheira, que, entretanto foi perdendo. Tem de ser, minha querida senhora, porque nós já estamos no século XXI.

    Bem, e depois aquela em que o pessoal está com os rostos pintados, imitando índios, nem sei se são ou não, está fantástica, porque mesmo que eles não o sejam, geneticamente, eles até que parecem, e agora que o carnaval está chegando convém "palhaçada" e pintura de todo o género, e qto "mais" melhor.

    Depois, aquele senhor, político certamente que está falando para mil e um órgãos de comunicação social, com seu tom "convencido" e de espera convencer.

    Finalmente o Parlamento/Assembleia, não sei qual a denominação aí, que está "mega" concentrada, todos sentadinhos e com imensa atenção. Que sorte que a foto, a máquina não apanhou algum dormindo!

    PARABÉNS PELA ATUALIDADE E PERTINÊNCIA DA SUA PUBLICAÇÃO. VOS FELICITO A AMBOS!

    Um generoso e luminoso domingo.

    Beijos com toda a estima e apreço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Céu!
      Seu comentário foi preciso e só enriqueceu nossa postagem, minha e do Jaime, que como você disse, entende muito de poesia!
      Das pessoas que você descreveu, só o presidente da Câmara Federal, você não sabe, mas está com seu mandato com os dias contados, por conta de envolvimento no escândalo na Petrobrás, por isso a indecisão entre esperar ser cassado e renunciar.
      Gostei demais, das suas colocações, mesmo não vivendo aqui.
      Um grandioso domingo e boa semana!
      Beijos sinceros de gratidão!

      Excluir
  10. Um momento de poesia e de política. Um poema que nos balança querendo acordar-nos.
    É preciso dizer NÃO,é preciso acordar e não se deixar pisar por estes gorilas que fazem da política a arte de se governar.
    Agradeço a visita em Madrugadas .http://zitorodriguescoelho.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, Victor
    Fico muito feliz por ver aqui publicado um poema do amigo Jaime Portela, esse grande poeta português do Norte.
    Já o tinha lido e comentado no blog dele. Aqui, ilustrado com figuras brasileiras, "colou" lindamente.
    Parabéns!

    Uma boa semana e alegre Carnaval.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariazita!
      Eu só peguei uma carona no pema do grande poeta Jaime Portela.
      Beijão!

      Excluir
  12. Gran poema y gran dilema tenemos con aquellos que se dicen políticos. Buena suerte y un fuerte abrazo querido amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracias, Lola, la suerte y gran abrazo para ti también!

      Excluir
  13. Olá Victor! Confesso que nunca tinha visto tamanha perfeição numa composição com esta. Os belos versos do Jaime Portela com as imagens destes trastes brasileiros.

    "O destilado entra, implacável, nas veias dependentes de ilusões."

    "A indecisão de continuar a vender ópio maldito ou de partir o piano a meio do recital, perfuram os tímpanos e não se ouvem respostas."

    PERFEITÍSSIMOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Obrigado pela visita e amável comentário deixado no nosso humilde espaço, como também pela compreensão quando da minha ausência para um pequeno descanso.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Furtado!
      Pena que as imagens infelizmente, sejam as que temos.
      Teremos que conviver com esses trastes por um bom tempo, ainda!
      Abraços!

      Excluir
  14. VITORNANNY,

    você agora se superou ao optar pelo poeta Jaime Portela, o que ajudará a divulgá-lo ainda mais entre nós.

    Um abração carioca.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paulo!
      Devo ao Jaime, todas as honrarias, reconheço!
      Ele merece ser mais divulgdo.
      Abraços!

      Excluir
  15. Fantástico! As imagens encaixam na perfeição.

    Um Beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário é o que torna especial esta postagem. Enriquece extraordinariamente o conteúdo!
Lembrando Saint Éxupery:"Aqueles que passam por nós, não vão sós. Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Obrigado pela visita!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. AVISO LEGAL Todos os direitos reservados. Esta coletânea de textos e imagens são propriedades do autor e estão protegidos por direitos de propriedade intelectual, que não podem ser utilizados em qualquer meio ou formato sem a autorização do autor. Vitorio Nani - 12/06/2010.