domingo, 11 de outubro de 2015

"Meu Pé de Jatobá"

   

    Hoje, dia 11 de Outubro, está completando dezessete anos que plantei nesta minha pequena propriedade, um pé de Jatobá!



    Naquele dia ele estava com apenas cinquenta centímetros de altura!

Hoje, quase um adulto em meu pequeno pomar!

     Plantei o Jatobá, para manter vivo na memória o meu tempo de criança. Era dependurados em seus galhos que voávamos em nossos balanços! Suas frutas tinham o aroma e o sabor de festa!


     Não sei se meu Jatobá me dará frutos, mas, já podemos contar com seus benefícios medicinais:  "O jatobá é um fruto conhecido dos índios da América Latina por ser uma das frutas místicas.



     Por assim ser, os índios pesquisavam seus efeitos antes de consumi-lo. Este fruto trazia equilíbrio de anseios, desejos,  sentimentos e pensamentos.

     Os índios costumavam, em tempos remotos, comer um ou dois pedaços de jatobá e, logo após, fazer rodas de meditação. Eles cultuavam a fruta e, hoje, a árvore (jatobeira ou jatobazeiro) é considerada um patrimônio no Brasil".

     Falei de outras árvores, Aqui.

     "Toquinho, em "À sombra de um Jatobá", cantou lindamente: Poucas coisas valem a pena, o importante é ter prazer...longe do amor de quem nos finge amar...".

45 comentários:

  1. Lindo, Cunhado, poesia doce e genuína na lembrança da infância!
    Que além desta sombra maravilhosa que possui, você possa colher belos frutos do seu pé de jatobá!
    Abraço carinhoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero mesmo, saborear a fruta que tem algo de místico, segundo a lenda.
      Abraço também carinhoso, cunhada!

      Excluir
  2. Mis felicitaciones por evocar a la naturaleza con uno de sus frutos sencillos y sus "propiedades" pero no menos importante. Por hacernos partícipes de su niñez al lado de un árbol acompañado con una bella melodía.
    Un abrazo amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola, Ardilla!
      Pensé que mi historia de la infancia y mi jatobá no ser notado, pero yo estaba feliz con su opinión!
      Sinceramente amigo!

      Excluir
  3. No clube que frequento tem um mundo de pés de jatobá, aqui no cerrado mineiro.....
    Um show de delícia, de curas que ele oferece...
    Bela postagem.... belo tema.. e a música do Toco é sensacional....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa árvore está se tornando cada vez mais rara.
      Aqui as pessoas evitam plantá-la, pois depois não podem mais cortá-la.
      Abraços!

      Excluir
  4. José Flausino Pereira de Moraes comentou no Facebook:
    Que bonito. Ministro aulas de música na SABSA e lá tem um imenso pé de jatobá, que fica bem rente ao muro do campinho de futebol. Com certeza a partir de agora vou apreciá-lo mais frequentemente.

    Vitorio Nani:
    Que bom que ainda exista essa árvore por aí, José Flausino!

    José Flausino:
    Ela é enorme e faz uma sombra maravilhosa. Pena que não dê frutos graúdos. Mas é até bom porque a gente nos dias de muito sol deixa o carro debaixo dela. rsrsrs.

    ResponderExcluir
  5. Eunice Fernandes comentou no Facebook:
    Com o fundo mostrando o lindo céu a imagem ficou maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu pé de jatobá agradece o elogio, Eunice!

      Excluir
  6. Imagem linda que reflete a psaisagem do tempo com uma gostosa saudade.
    Toquinho completa este lindo post com uma canção plena de ternura. Gostei!...
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Élys, uma gostosa saudade!
      A ideia da música, eu devo à minha amiga Janaína.
      Abraços!

      Excluir
  7. It is the same in our yard--- Giant trees, originally tiny seedlings. It's good that we've been in one place that long. It wasn't always so.

    Liked the song!

    ResponderExcluir
  8. I know you have the same feelings for the trees that grow with us and never leave our memory, Bill!

    ResponderExcluir
  9. VITORNANI,

    seu Jatobá já deu muitos frutos e um deles foi este seu texto que tocou de forma direta e objetiva as nossas lembranças dos tempos de criança.

    E neste Dia das crianças, nada melhor para ler como textos bem elaborados e oportunos como este.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo!
      Sua visão sempre muito peculiar de interpretar minhas postagens, são
      uma das coisas que me estimulam a continuar!
      Um grande abraço, amigo!

      Excluir
  10. Oi Vitor,
    Você mora no sítio?Que maravilha de lugar!
    Eu moro numa cidade circundada de canaviais,onde os pássaros sumiram e a seca fez morada.
    Agora já é tarde para mudar, conheço todos daqui, um outro lugar seria para mim um mundo diferente, sem amigos e muita solidão.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dorli!
      Moro numa chácara dentro da cidade, que está se erguendo em grandes prédios ao redor!
      Em breve seremos um oásis verde dentro de uma selva de concreto!
      Beijos!

      Excluir
  11. Bom dia, Vitor
    Para além de ser uma fã incondicional da Natureza, agradou-me muito ficar a conhecer algo mais sobre uma árvore que não é comum em Portugal.
    Parabéns pela sua plantação que foi muito bem tratada, a avaliar pelo tamanho que já tem. Oxalá dê bons frutos! E depois, sempre o fará reviver momentos felizes da infância.
    Um abraço
    Beatriz
    VIDA E PENSAMENTOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beatriz!
      Como diz na música desta postagem: " poucas coisas valem a pena, o importante é ter prazer...".
      Hoje eu tive o prazer de seu belo comentário!
      Um forte abraço e boa semana!

      Excluir
  12. Simplesmente encantada! Abraço forte!

    ResponderExcluir
  13. Oi Vitor!
    Que bom ter por perto lembranças vivas da infância! Assim, manterá "acordada" a criança em você!
    É lindo seu Jatobá!
    Beijo carinhoso, feliz semana!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Jossara!
    Você foi direta ao ponto: Não deixar adormecer a criança que mantenho viva em mim!
    Beijo carinhoso e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Vitor!

    Como vão? Aqui, tudo satisfatório, graças a Deus.

    Seu pé de jatobá (acho esse nome lindo e não sou brasileira) é um encanto para os olhos, para o corpo, para alma e para alimentar suas lembranças de menino.
    Olha k eu desconhecia k essa planta/árvore tinha tanto benefício! As plantas, sempre são boas para quase tudo, a gente sabe, mas essa tem algo de místico. Você entende o k quero dizer. Né? Depois, passarei pelo "Aqui" para ler coisas interessantes sobre árvores. Adoro a natureza e tudo k com ela se relacione.

    Agradeço sua visita e comentário, e fico esperando k você faça a música para o meu poema. Está combinado?

    Um beijo para ambos, com estima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Céu!
      Quem sabe um dia eu amanheça inspirado o suficiente para musicar seus lindos versos!
      Um grande beijo!

      Excluir
  16. Hola Vitor, me a encantado tu post, preciosos pensamientos, preciosas fotos y precioso árbol y huerto. Un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Vitor!
    Fui criada à sombra dum jatobazeiro, no sítio do Vovô Eurico. Os muitos frutinhos abortados, com aroma amadeirado, forravam o terreiro de casa. Mais adiante nos meses, os frutos adultos remanescentes nos supriam com um farináceo amarelo-esverdeado de sabor peculiar.
    Carece técnica para degustação, pois atarraca-se nas gengivas! Onde vejo um jatobazeiro, vou logo procurando algum fruto pelo chão - aqui na rua há um: aquela casca feito uma arca artisticamente entalhada e os caroços tão robusto que servem de brinquedo infantil!
    Sempre renderei tributos a esta árvore tão nobre e mal aproveitada.

    Parabéns pelo seu belíssimo exemplar, e não deixe de fazer lá um balanço, após a primeira frutificação - dá sorte!

    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Oi, Cristina!
    Tudo o que você disse sobre o jatobá é verdadeiro!
    Se você cresceu em companhia dele, você deve ser uma pessoa feliz. Parabéns!
    Vou lembrar do balanço, quando o meu jatobazeiro der frutos!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  19. TU MORADA TIENE UN ENTORNO HERMOSO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  20. Los árboles son nuestros compañeros de viaje y tienen inmensas propiedades, ahora conozco uno más. Gracias. Besicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Una "mala" NO, uno MÁS (un árbol más)

      Excluir
    2. La traducción no es correcta. quiero decir que conozco un árbol nuevo.

      Excluir
    3. Yo también lo creo, trimbolera.
      Me alegro de que usted sabe más un árbol nuevo!
      Gracias. Besos!

      Excluir
  21. Infelizmente nao conheço a arvore e o fruto.
    Fiquei com vontade de provar... :)

    ResponderExcluir
  22. Oi, Maria!
    Quando meu jatobá der frutos, te envio, prometo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  23. Olá, Vitor!
    Me ri a valer com seu comentário. Todo o mundo ama o paraíso!
    Beijos pra ambos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então estou certo quando o assunto é o paraíso, Céu!
      Beijos!

      Excluir
  24. Então e "cadé" essa sua inspiração? Meus escritos esperam sua música.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Céu!
      Eu disse que seus versos merecem música, mas, quem me dera...! rss*

      Excluir
  25. Saio sempre deste teu espaço mais rica.
    Não conhecia. Espero que ainda dê frutos...
    Bjo, amigo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, espero viver o suficiente para isso, Odete!
      Beijos, amiga!

      Excluir

Seu comentário é o que torna especial esta postagem. Enriquece sobremaneira o conteúdo!
Lembrando Saint Éxupery:"Aqueles que passam por nós, não vão sós. Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Obrigado pela visita!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. AVISO LEGAL Todos os direitos reservados. Esta coletânea de textos e imagens são propriedades do autor e estão protegidos por direitos de propriedade intelectual, que não podem ser utilizados em qualquer meio ou formato sem a autorização do autor. Vitorio Nani - 12/06/2010.